Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Fevereiro, 2019

Uma luz abaixo da Lua

Alguém me disse que parecia Jorge Ben
Mas era um menino que tocava em sarau
Alguns diziam - Isso não vai pra frente
Mas ele não ouvia, só ouvia seu coração

Na estrada se perde, se ganha e vai
Já não era um menino no adeus a seu pai
Tinha suas guerras, mas só queria paz
Tem a fé no destino que todo dia se refaz

Se em toda turbulência você morresse
Se em toda escuridão desaparecesse
Se ao olhar as estrelas eu virasse um foguete
Eu te traria vários presentes

O eu mais velho, distópico e Lo-fi

Criogenia no peito
E a mente focada no que se diz respeito ao valor
Eu deixo pra trás o que não me traz paz
Independente do amor

Apagar memórias
É um presente do tempo e às vezes é até um favor
Coloco na frente o que tenho em mente
Limpando toda poeira e bolor

O meu sorriso e meus abraços verdadeiros
São as únicas coisas que peço de volta
Com a mesma sinergia, intensidade e apreço
Preces aos anjos que nos fazem escolta

Eu quero o seu bem
E te quero meu bem

Sei o preço da liberdade e não crio gaiolas
Deixo todas as portas e as janelas abertas aos que vão e voltam
Mas sei que sou cárcere de minhas escolhas
E eu sei que assim que as decisões são tomadas, elas não voltam

Sou o herói e o culpado de meus destinos
E por eles estou chorando, estou sorrindo

Ouvi o concelho de um senhor que dizia
Meu filho, ser você mesmo é tudo o que você pode ser
E ouvi várias histórias naquela noite fria
Viajei e voltei nessas palavras, nada me fazia esquecer

Somos as chuvas, trovões e tempestades que enfren…

Distemporal

Tantas coisas eu deixei pra trás
Tantas que não vou voltar a ver
Tantas que eu nem quero mais
E tantas eu tentei esquecer

Os bares que já foram um abrigo
Aos pares e seus belos sorrisos
Nossos lugares, aos pés d'ouvido
Frases vulgares e vários "duvidos"

Tantas coisas eu deixei pra trás
Tantas que não vou voltar a ver
Tantas que eu nem quero mais
E tantas eu tentei esquecer

Os bares hoje não me fazem sentido
Esses pares e seus meros sorrisos
Nossos lugares num passado perdido
E as frases terminam com "eu tô fodido"

A força não é nada sem a fé
Os passos não são nada sem uma direção
Como uma limusine sem chofer
Lágrimas caladas e uma ação sem reação

Tanto esforço pra silenciar a mente
Quando quem mais quer falar é o peito
E tanto esforço pra seguir em frente
Quando descansar é meu único desejo

Estou onde me deixei dominar pelas leis do tempo rei
Não na velhice, mas na juventude
Estou onde eu descansei, me acomodei e me acovardei
Não nas planícies, mas na plenitude